Inteligência artificial vasculha processos em tribunais para organizar informações jurídicas

Inteligência artificial vasculha processos em tribunais para organizar informações jurídicas

POR FILIPE OLIVEIRA

Empresas vem usando tecnologia para analisar e organizar os milhões e milhões de processos em discussão no judiciário brasileiro.

A DBJus, de Florianópolis, desenvolve desde 2014 robôs que buscam informações sobre processos em diários oficiais e em sistemas de tribunais brasileiros. Os dados são analisados e organizados a partir de algoritmos de aprendizado de máquinas (softwares que, conforme são usados, ficam mais eficientes).

“Juntando todos os tribunais, são 80 sistemas diferentes que possuem informações sobre processos no país e as apresentam de modo pouco padronizado. Essa dificuldade de acessar os dados diminui a propagação de informações sensíveis”, diz Marcus Camargo, advogado e sócio da empresa.

Segundo ele, a plataforma tem informações sobre 142,5 milhões de processos, todos os que foram citados em diários oficiais desde 2012 (incluindo anteriores a data que tiveram alguma movimentação desde então). Por dia, o sistema localiza de 70 mil a 80 mil novos processos.

O volume de informações é tão grande que gera um custo mensal de R$ 100  mil ao mês com armazenamento de dados.

A empresa Fornece sua tecnologia para integração ao sistema de gerenciamento de grandes empresas, para que possam ter mais dados sobre processos envolvendo a companhia e concorrentes a partir da plataforma. Com isso, podem analisar padrões sobre quais motivos têm gerado mais demandas na justiça e qualidade das linhas de defesa apresentadas, por exemplo.

O conteúdo também pode ser usado por advogados e pessoas leigas diretamente a partir do site da empresa.

Gratuitamente é possível abrir até cinco processos por mês e receber alertas para ter notícias sobre até três deles.

 

LEIA A MATÉRIA COMPLETA NO SITE DA FOLHA!